Pró-Palmeiras - Por nosso alviverde inteiro!

Somos Eternamente Campeões, somos Palmeiras
por: Daniel Vasconcellos

Estava relembrando; quando peguei meu carro, e fomos, eu e minha namorada, à casa de um amigo para assistir uma verdadeira batalha, um jogo que representava a defesa da honra da nossa camisa…

O clube Portoalegrense fizera o primeiro gol, o que, mesmo tendo ganhado por 2 X 0 no primeiro jogo, me fez passar um filme na cabeça…

Nosso time não tinha craques, e toda nossa esperança estava no técnico Felipão, especialista em ganhar copas, e que com certeza iria trancar o time e jogar dentro do regulamento da competição… E na criatividade de Valdivia, que colocaria a bola na cara do gol para os atacantes…

Foi quando o próprio Valdivia fez aquele gol; e saiu comemorando, tirou a camisa, abraçou o Felipão… Acabamos com os fogos que tínhamos! E com a voz também… Voltando à realidade; estávamos novamente em uma final Nacional, após tantos anos de espera…

1

Passaram-se alguns dias, e não sabíamos se íamos á Barueri para o primeiro jogo da final, ou se íamos assistir aqui em São Paulo mesmo… Por não conseguir acertar a logística, decidimos pelo improvável, fizemos, fomos então, eu e meu amigo, para o evento da Casa Palmeiras.

Chegamos naquele ambiente familiar e bucólico na rua cotoxó, mas, já não achávamos uma mesa vazia para nos acomodar, mas, quem se importa? Afinal, estamos em família!

2

Um senhor que estava sentado em uma mesa em um dos jardins próximo ao primeiro telão, e aos convidados Sergio, Veloso e Mauro Beting, nos chamou, e disse que estava só naquela mesa:

- Sentem aqui comigo! Não tem problema não, somos Palmeiras!

Aquele jogo foi eletrizante! A torcida, como sempre, cantava sem parar! O time do Paraná atacava, nossa defesa estava meio perdida no início do jogo e estávamos muito apreensivos, mas, Bruno inacreditavelmente fechava o gol com belas defesas!

Foi quando em uma jogada de bola área, lançamento para dentro da área e penault para o Verdão! Valdivia com o seu “El Bigodon” coloca a bola para um lado e o goleiro para o outro! Comemoramos muito nesta hora, e teve muito cerveja derramada entre um abraço e outro!

3

Quando acabou o primeiro tempo, todos estavam meio que tranquilos naquele bar, o ambiente Verde se confundia com a cor do Nosso Sangue e de Nossas Camisas, o 1 X 0 do primeiro tempo nos trouxe os tempos bons, de grandes esquadrões que fazem a Nossa História, sem essa mediocridade de bom e barato; conversávamos e bebíamos falando desta nossa vida, falando de Palmeiras…

No segundo tempo, em uma cobrança de falta, nossa jogada fatal nesta competição, colocamos a bola para dentro do gol!

4

A Casa Palmeiras parecia que viria abaixo! O ambiente bucólico e verde parecia estar em reboliço! Pulávamos e cantávamos abraçados! Quando me dei conta estava ao lado de Sergio, e Velloso comemorando! Era um momento muito especial, pois estávamos á um empate de mais um título de nível Nacional!

Precisávamos ir a Curitiba! Nunca fui ao estado do Paraná, mas, neste caso não queria pensar! Só queria mesmo ir! Infelizmente não deu certo; pois não conseguimos ingressos… Pensamos em Casa Palmeiras novamente, mas, enfim resolvemos…

Para o segundo jogo reunimos os Palmeirenses em São Bernardo do Campo, na casa de um amigo, Palmeirense fanático como todos nós, do tipo que a bandeira faz parte do acabamento frontal da casa!

Foi um jogo tenso, o campo estava molhado, a bola não corria… Eis que, saiu um gol do Coritiba… Eu fiquei bastante apreensivo… A imprensa estava declarando o título para o time Paranaense, então veio um monte de coisas na cabeça…

Falta para o Palmeiras, era nossa grande chance, bola parada, uma das nossas armas na Copa do Brasil inteira! Antes da cobrança ainda falei que iria sair um gol naquele instante… A cobrança foi clássica, meio cruzada, buscando o desvio, e ele veio.

5

A bola desviada parou junto à trave esquerda, e ali ficou por uma eternidade, rodopiando… Eu não acreditava! Meus olhos embaçaram com lagrimas, mas, eu não sabia se gritava, ou procurava de novo a bola rodopiando…

Aqueles segundos eternos se transformaram em uma explosão de euforia quando o arbitro apontou o meio e vi os jogadores correndo pra comemorar! Vibrava e cantava, pulava com a cerveja na mão, derramando-a sem querer no piso da sala do nosso amigo, e novamente ouvi a frase:

- Não tem problema não, somos Palmeiras!

Acabou o jogo, nosso 11° Titulo Nacional estava em nossas mãos! Descemos para a Av. Kennedy-SBC-SP para ali comemorarmos. Corríamos com as bandeiras nas mãos, como se quiséssemos dizer o quanto também somos Palmeirenses! O quanto também nos orgulhamos de ser! O quanto também temos esta paixão e fazemos parte desta Nação Vitoriosa!!!

6

Só sei que, neste dia também perdi a voz… Só lembro-me de ter acordado para ir trabalhar, ainda com as batidas dos tambores que os amigos das organizadas tocavam naquela avenida; zunindo na minha cabeça!

Minha bandeira encostada no móvel com uma parte rasgada, e o alarme do celular tocando o Hino do Palmeiras… E eu não queria desligá-lo, não queria ter a certeza de que tinha amanhecido…

Pois é, vão passar os anos, mas, assim como outros títulos do Nosso Palmeiras, sempre vamos nos lembrar daquela final de 2012…

Somos os maiores Campeões deste país, e nossa história vitoriosa não acabou! Novos títulos virão! E traremos Nosso Palmeiras de volta! Assim como novas pessoas descobrirão o Amor pela Sociedade Esportiva Palmeiras, e o futuro desta instituição será zelada, assim como decidimos por zelar!

E se não houver mais cadeiras para sentar, e a cerveja derramar; ouviremos a frase:

- Não tem problema não, somos Palmeiras! E somos eternamente Campeões!

7



Obs.: As informações e notas desse texto são de responsabilidade do colunista e não refletem necessariamente a opinião do grupo Pró-Palmeiras. Vide código de privacidade em nosso site.

COMPARTILHAR:






arena via pró
Arena via Pró


palmeiras tour
Palmeiras Tour


  • todos direitos reservados © all rights reserved
  • trabalho voluntário para a sociedade esportiva palmeiras 2009 - 2017
  • pelo palmeiras, para o palmeiras, pró-palmeiras
  • desenvolvimento: márcio moradei